Grau de investimento neste cenário é significativo, diz Meirelles

Para presidente do Banco Central, decisão mostra resistência brasileira a choques externos

Fernando Nakagawa e Adriana Fernandes, de O Estado de S.Paulo

30 de abril de 2008 | 17h02

O presidente do Banco Central, Henrique Meirelles, comemorou nesta quarta-feira, 30, a decisão da S&P de elevar o Brasil ao nível grau de investimento em meio ao período de instabilidade da economia mundial. Segundo ele, receber a nota nesse cenário "é muito significativo".   Veja Também:  Como o presidente sempre diz, 'nunca antes neste País...'  Brasil é elevado a grau de investimento; Bovespa dispara Entenda o que muda no Brasil    Para ele, a decisão mostra a resistência brasileira a choques externos. Meirelles destacou repetidas vezes a importância da previsibilidade da economia como fator preponderante para o upgrade. "Isso é resultado da estabilidade da economia, que é fundamental para garantirmos o crescimento sustentável da economia."   Em videoconferência que acontece neste momento de São Paulo, Meirelles disse que já conversou com o presidente Luiz Inácio Lula da Silva, que ficou "muito gratificado com o reconhecimento internacional". "O importante é mostrar o grande progresso e o sucesso da economia", disse. Ao ser questionado se o upgrade chegou tarde para o Brasil, o presidente do BC respondeu: "Boa notícia tem sempre que ser comemorada. Por definição, se é boa veio na hora certa".   O presidente do BC avaliou que o aumento da previsibilidade da economia brasileira é "resultado da persistência de se manter a política econômica constante". Segundo ele, esse cenário foi alcançado com adoção de câmbio flutuante, metas de inflação e superávit primário. "Tudo isso trouxe como conseqüência o aumento da previsibilidade, que traz mais emprego e renda", acrescentou.   Meirelles observou ainda que o relatório da S&P destacou essa continuidade da política econômica como fator positivo para a decisão.

Tudo o que sabemos sobre:
Grau de investimento

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.