Grécia anima exterior, mas Petrobrás esfria reação da Bovespa

A aprovação do pacote de austeridade fiscal de ? 28,4 bilhões pelo Parlamento da Grécia foi o grande acontecimento dessa quarta-feira, quando Bolsas, commodities e o euro subiram, embora a novela grega ainda não tenha terminado. Hoje, os parlamentares vão votar a legislação que vai reger a implementação das medidas de austeridade aprovadas ontem e, no domingo, os ministros de Finanças da zona do euro se reunirão novamente para debater um novo pacote de ajuda à Grécia. Nas principais praças europeias, as bolsas registraram ganhos ao redor de 1,5%, enquanto nos EUA, o índice Dow Jones subiu 0,60% e o S&P 500 avançou 0,83%. A Bovespa tentou acompanhar a animação internacional ao longo do dia, mas a queda das ações de Petrobrás pesou e o índice à vista terminou com ganho marginal de 0,05%, aos 62.333,97 pontos. O desempenho negativo de Petrobrás (ON -0,39% e PN -0,30%) ocorreu na contramão do petróleo, que subiu 2% em Nova York, reagindo ao efeito Grécia e à redução dos estoques semanais de petróleo nos EUA.

Claudia Violante, O Estado de S.Paulo

30 de junho de 2011 | 00h00

Do lado interno, o Relatório Trimestral de Inflação, divulgado ontem pelo Banco Central, reforçou a ideia de um ciclo mais longo de alta de juros ao mostrar piora nas projeções de inflação para 2011 e 2012, além de indicar diversos riscos para a convergência dos preços à meta central de 4,5% em 2012. Com isso, os investidores incorporaram prêmios e as taxas futuras subiram na BM&F. O contrato para janeiro de 2013 apontou 12,60%, de 12,55%.

O dólar furou a marca de R$ 1,57, cotado a R$ 1,5690 (-0,57%) no balcão, no menor valor desde 26 de abril.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.