Grécia enfrenta 'perigo mortal', diz ministro

O ministro das Finanças da Grécia, Evangelos Venizelos, alertou no sábado que o país está enfrentando um "perigo mortal" em meio às dificuldades para arrumar suas finanças públicas num cenário de aprofundamento cada vez maior da crise da dívida europeia.

FÁBIO ALVES, Agencia Estado

26 de novembro de 2011 | 19h17

Falando com repórteres, Venizelos instou o país a fazer um esforço nacional "sobre-humano" para garantir que o país saia da crise incólume, mas ele prometeu que a Grécia não precisaria adotar medidas adicionais de austeridade para cumprir com as metas orçamentárias neste ano e no próximo.

"O país está enfrentando um perigo mortal dentro da Europa que se encontra titubeante e sitiada", ele afirmou. "Para 2011 e 2012, todas as medidas de austeridade já foram aprovadas, contanto que continuemos consistentes, organizados e justos".

O governo grego reconheceu no início de outubro que não conseguirá cumprir as metas orçamentárias que havia prometido aos outros países membros da zona do euro e ao Fundo Monetário Internacional (FMI) para 2011. O déficit orçamentário agora está sendo projetado para fechar este ano por volta de 9% do produto doméstico bruto, ou 19,68 bilhões de euros, comparado com uma meta prometida de 17,1 bilhões de euros.

Desde então, a Grécia tem adotado medidas adicionais de austeridade para trazer o déficit orçamentário de volta aos trilhos e agora está mirando um déficit de 14,2 bilhões de euros, ou 6,7% do PIB, para o ano que vem. As informações são da Dow Jones.

Tudo o que sabemos sobre:
Gréciacrise da dívida

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.