Grécia fará o que for necessário para reduzir déficit

Déficit orçamentário atualmente equivale a 12,7% do PIB e a dívida que supera 109% do PIB

Gustavo Nicoletta, da Agência Estado,

16 de dezembro de 2009 | 13h25

O ministro de Finanças da Grécia, George Papaconstantinou, afirmou que a situação fiscal do país é "bastante grave" e que o governo fará o que for preciso para reduzir o déficit orçamentário. Em entrevista ao jornal Financial Times, Papaconstantinou disse que a Grécia possui "a determinação muito clara" de conter o déficit orçamentário, que atualmente equivale a 12,7% do Produto Interno Bruto (PIB), e uma dívida que supera 109% do PIB.

 

Questionado sobre a possibilidade de os países vizinhos auxiliarem a Grécia caso haja um agravamento da situação fiscal, Papaconstantinou afirmou não estar "contando com isso" e disse que o governo grego não está trabalhando com essa perspectiva. "Estamos trabalhando com a perspectiva firme de que nós mesmos faremos o que for necessário para reduzir o déficit", acrescentou.

 

O primeiro-ministro grego, George Papandreou, apresentou na segunda-feira, 14, um plano de emergência para a redução da dívida do país, que incluía uma meta para reduzir o déficit orçamentário grego a uma taxa inferior a 3% do PIB - conforme o requisitado pela legislação da União Europeia - dentro de quatro anos. As informações são da Dow Jones.

Tudo o que sabemos sobre:
GréciaPapaconstantinoudívida

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.