Grécia: grevistas de siderúrgicas protestam em Atenas

Cerca de 3 mil pessoas filiadas ao Partido Comunista da Grécia e estudantes promoveram uma passeata neste sábado, em Atenas, para manifestar solidariedade a uma grande greve que atinge, há dois meses, uma das principais siderúrgicas do país. A paralisação ocorreu após a demissão de funcionários.

AE/AP, Agencia Estado

17 de dezembro de 2011 | 11h26

Os trabalhadores da empresa privada Hellenic Halyvourgia, nos arredores de Atenas, estão em greve desde 31 de outubro em protesto pela demissão de 50 funcionários e por causa da proposta de redução do salário de 500 euros (US$ 652) por menor número de horas. "Nós estamos em greve por 48 dias e teremos o Natal na fábrica", clamavam os manifestantes na marcha pelo centro de Atenas, enquanto as ruas paralelas estavam lotadas de consumidores nesta temporada de compras natalinas.

A companhia, uma das três principais siderúrgicas da Grécia, informou que está computando prejuízo, mas os sindicatos locais questionam esse argumento, citando a crescente produção da empresa. Segundo o sindicato, outros 180 dos 400 funcionários da empresa foram ameaçados de demissões. As informações da Associated Press.

Tudo o que sabemos sobre:
Gréciaprotestosgreve

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.