Grécia já tem novo ministro de Finanças

Professor de economia, Yiannis Stournaras, que participou das negociações para entrada da Grécia no euro, substitui Vassilis Rapanos

ATENAS, O Estado de S.Paulo

27 de junho de 2012 | 03h07

O novo governo da Grécia, dirigido pelo conservador Andonis Samarás, nomeou Yiannis Stournaras, um professor de economia de 55 anos, para o cargo de ministro de Finanças, em substituição a Vassilis Rapanos, que renunciou ontem por causa de problemas de saúde.

Stournaras terá a tarefa de liderar o país nas negociações para afrouxar os termos do programa de resgate internacional oferecido ao país. Ele leciona economia na Universidade de Atenas e preside a Fundação para Pesquisa Econômica e Industrial, um instituto de pesquisas grego.

O novo ministro já atuou como consultor econômico em um governo anterior e participou das negociações para a entrada da Grécia na zona do euro.

Preparação. Durante todo o dia ontem, o presidente grego, Karolos Papoulias, manteve várias reuniões de preparação para a cúpula de chefes de Estado e governo da União Europeia, que começa amanhã em Bruxelas. Papoulias vai comandar a equipe grega, uma vez que Samaras ainda convalesce de uma cirurgia na semana passas. O primeiro-ministro sofreu um descolamento de retina.

Papoulias vai levar uma carta de Samaras dirigida às autoridades europeias, na qual ressalta a necessidade de apoio ao país. No documento, o primeiro-ministro salientará que as eleições do dia 17 na Grécia provaram que o país escolheu o caminho a favor da Europa. Também vai levantar a questão de uma eventual substituição de alguns termos que são parte dos pacotes de resgate da União Europeia e do Fundo Monetário Internacional (FMI), que prejudicam a já bastante endividada economia do país.

O Centro de Planejamento e Pesquisa Econômica (Kepe, na sigla em grego) afirmou ontem que a economia da Grécia deve encolher a uma taxa anual de 6,7% em 2012. A previsão é bem mais pessimista do que a feita por credores internacionais do país. A Comissão Europeia esperava que o PIB grego tenha uma contração de 4,7% este ano.

"Com base nos dados disponíveis (até o fim do primeiro trimestre) e a força da recessão econômica, as projeções para a taxa de crescimento são excepcionalmente negativas", afirmou o Kepe em um comunicado.

Samaras conversou por telefone ontem com líderes da UE, entre eles a chanceler da Alemanha, Angela Merkel, e o presidente do órgão, Herman Van Rompuy. / AGÊNCIAS INTERNACIONAIS

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.