Grécia precisará de mais reestruturação de dívida, dizem fontes

Em Atenas para avaliar os progressos feitos no país, equipe da União Europeia e do FMI deve descobrir que metas estão longe de serem cumpridas

Danielle Chaves, da Agência Estado,

24 de julho de 2012 | 13h37

LONDRES - A Grécia dificilmente conseguirá pagar suas dívidas e uma nova reestruturação deverá ser necessária, segundo três autoridades ouvidas pela agência Reuters. Segundo a reportagem, a equipe da União Europeia e do Fundo Monetário Internacional (FMI) que está em Atenas para avaliar os progressos feitos nas reformas exigidas em troca de ajuda descobrirá que o país está longe de ter cumprido as metas.

O custo de uma nova reestruturação da dívida grega provavelmente cairá sobre o Banco Central Europeu (BCE) e os governos da zona do euro. Embora nenhuma conversa formal tenha sido iniciada, duas possibilidades foram mencionadas pelas fontes: o BCE arcaria com uma perda sobre os cerca de 40 bilhões de euros (US$ 48,45 bilhões) em bônus gregos que possui ou os países membros melhorarão os termos dos empréstimos oferecidos à Grécia.

No entanto, as fontes disseram que seis países da zona do euro se opõem firmemente à extensão de mais linhas de crédito ao governo grego. As informações são da Dow Jones. 

Tudo o que sabemos sobre:
GréciacriseFMIUE

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.