Grécia quer cortar déficit abaixo de 3% do PIB até 2013

O primeiro-ministro da Grécia, George Papandreou, disse que vai reduzir o gigantesco déficit orçamentário de forma que fique em linha com as regras da União Europeia até 2013. Papandreou traçou uma série de medidas com objetivo de tranquilizar os investidores sobre a posição fiscal do país.

SUZI KATZUMATA, Agencia Estado

14 de dezembro de 2009 | 18h06

Em um discurso bastante aguardado para empresários e líderes trabalhistas, o primeiro-ministro disse hoje que seu governo vai reduzir o déficit abaixo do teto exigido pela UE de 3% do PIB dentro de quatro anos, de um déficit projetado em 12,7% do PIB para este ano. Ele também disse que a partir de 2012 a Grécia vai tomar medidas para começar a reduzir seu gigantesco encargo da dívida, que deve ultrapassar os 120% do PIB até o próximo ano.

Desde a semana passada, o novo governo socialista vem lutando para tranquilizar seus parceiros da UE, os investidores e as agências de rating de que tem um plano para reduzir o déficit e enfrentar a gigantesca dívida pública do país. Na semana passada, a Fitch Ratings rebaixou o rating soberano da Grécia para BBB-, enquanto a Standard & Poor''s alertou que poderá rebaixar sua nota para o país ao longo das próximas semanas. As informações são da Dow Jones.

Tudo o que sabemos sobre:
orçamentodéficitGrécia

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.