Grécia vai cortar ‘licença computador’ paga a funcionários públicos

Benefício é pago há mais de 20 anos a todos os funcionários públicos que trabalham mais de 5 horas por dia no computador; ministro considera privilégio ‘anacrônico’

Agência Estado,

13 de setembro de 2013 | 20h05

ATENAS - Os servidores públicos da Grécia devem perder um benefício que recebem há mais de 20 anos. O bônus, conhecido como "licença computador", se aplica para todos os funcionários que passam mais de 5 horas por dias trabalhando no computador - basicamente todos os empregados administrativos dos ministérios e dos serviços públicos.

"Isso pertence a outra era. Hoje, na era da crise, nós não podemos manter esses privilégios anacrônicos", disse o ministro de Reforma Administrativa, Kyriakos Mitsotakis. Segundo ele, esse é um passo "pequeno, mas simbólico" na modernização da administração pública.

Mas o sindicato de servidores públicos ADEDY pretende questionar o fim do benefício. "Segundo a regulamentação europeia, quem trabalha no computador deve fazer um intervalo de 15 minutos a cada duas horas. Não é fácil realizar todos esses intervalos, então foi decidido lá atrás que os servidores deveriam receber um dia de folga a cada dois meses", explica o secretário-geral do sindicato, Ermolaos Kasses.

Pressionado pelo Fundo Monetário Internacional (FMI) e seus parceiros da zona do euro a adotar medidas de austeridade, o governo grego já limitou as pensões que as filhas solteiras recebem quando seus pais morrem e eliminou um bônus concedido aos servidores pontuais. Além disso, a carga horária dos professores foi estendida. Fonte: Dow Jones Newswires.

Tudo o que sabemos sobre:
grecia

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.