Grécia vê mais protestos conforme Parlamento vota austeridade

A polícia da Grécia entrou em conflito nesta quarta-feira com manifestantes que tentavam bloquear o caminho para o Parlamento do país, em meio a sinais de que o governo pode conseguir aprovar um duro plano de austeridade demandado pelos credores internacionais.

RENEE MALTEZOU E GEORGE GEORGIO, REUTERS

29 de junho de 2011 | 07h32

Com a Grécia correndo o risco de entrar em moratória se o plano de austeridade for barrado, o Parlamento deve voltar à tarde o pacote que prevê cortes de gastos, aumentos de impostos e privatizações.

Após o início de uma greve geral de 48 horas e protestos com conflitos na terça-feira que transformaram a Syntagma Square em uma zona de guerra, novos protestos são planejados nesta quarta-feira, e milhares se reuniam em frente ao Parlamento até o meio-dia (horário local).

Uma autoridade parlamentar disse que a votação do pacote pode ocorrer entre 8h e 11h (horário de Brasília).

O presidente do banco central grego, George Provopoulos, alertou que a não aprovação seria catastrófica para o país.

"O Parlamento votar contra este pacote seria um crime; o país estaria votando por seu suicídio", disse ele ao Financial Times.

Tudo o que sabemos sobre:
MACROGRECIAPROTESTOS*

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.