Greenspan (ex-Fed): cresce risco de recessão nos EUA

O ex-presidente do Federal Reserve (Fed, o BC dos EUA), Alan Greenspan, disse que as chances de os EUA caírem em recessão estão "claramente aumentando" e que a economia norte-americana está "aproximando-se da velocidade de paralisação". "É muito cedo para dizer (se os EUA entrarão em recessão), mas a possibilidade está claramente aumentando", disse em entrevista à edição matutina do jornal NPR News. Para ele, a severa desaceleração do mercado imobiliário, uma resistente crise do crédito e a turbulência em Wall Street estão colocando em risco a saúde da economia. A nova advertência de Greenspan segue-se ao de outros economistas, que consideram crescentes as chances de recessão nos EUA. "Estamos nos aproximando da velocidade de paralisação", disse. "Estamos mais vulneráveis a níveis em que o crescimento é muito mais lento do que em outro momento", acrescentou. "De fato, é como alguém que tem um sistema imunológico que não está trabalhando muito bem, sujeito a vários tipos de doenças, e a economia neste nível de crescimento está sujeito a qualquer tipo de choque", comparou.Greenspan novamente rejeitou as críticas de que sua política monetária ajudou a alimentar o boom imobiliário. Para evitar a euforia no mercado imobiliário que alimentou a bolha de preços, Greenspan disse que o Fed teria de ter elevado o juro para patamares a níveis tão elevados que poderiam ter prejudicado a economia. "Teria quebrado a base da economia e trazido o boom imobiliário para baixo", disse Greenspan. As informações são da Dow Jones.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.