Ações

Empresas de Eike disparam na bolsa após fim de recuperação judicial da OSX

Greenspan vê risco maior de recessão mas teme inflação

Os riscos de uma recessão nosEstados Unidos aumentaram, mas o Federal Reserve precisa sercauteloso ao sustentar a economia porque as forças globais quetêm mantido a inflação controlada estão desaparecendo, dissenesta segunda-feira o ex-chairman do Fed Alan Greenspan. "Eu já falei em certo momento deste ano que a probabilidadede recessão era de um terço", disse em entrevista. "Issoaumentou em alguma medida, mas ainda está neste momento umpouco abaixo de 50 (por cento)." Para ele, o maior risco à previsão de crescimento econômiconorte-americano seria de uma queda substancial nos preços demoradias. A economia pode aguentar um pequeno declínio nosvalores das casas desde que haja diminuição na construção demoradias novas e que se reduzam os estoques de casas nãovendidas, avaliou Greenspan. "Mas se toda a coisa ruir, vai erodir a contabilidade dasfamílias e impactar o principal suporte desta economia: osgastos do consumidor", disse. Greenspan falou com a Reuters e diversos outros veículospara divulgar seu livro de memórias, "The Age of Turbulence:Adventures in a New World". Os comentários do ex-chairman foram feitos um dia antes dareunião do Fed. O banco central norte-americano deve reduzir ataxa de juro de operações overnight em pelo menos 0,25 pontopercentual para ajudar a economia em um período de crise nosegmento habitacional e um aperto no crédito. O ex-chefe do Fed disse que a decisão de política monetáriada instituição virá em um momento mais complicado do que o queele enfrentou, quando o banco central cortou a taxa básica dejuro de 6,50 por cento para 1,75 por cento para enfrentar arecessão e o choque provocado pelos atentados de 11 de setembrode 2001. Desde junho de 2006, a taxa de juro está em 5,25 por centonos Estados Unidos. O economista disse em outras entrevistas nestasegunda-feira que a economia dos EUA parecia estar bem, apesardo estouro da bolha no setor de habitação e das turbulênciasnos mercados financeiros. "A evidência, até agora, é que ainda não (haverá recessão).A economia, neste momento e apesar do problema fiscal, doproblema financeiro, ainda está se segurando", disse ele aoprograma "Today", da rede NBC. Greenspan também disse esperar que as inadimplências e asexecuções de hipotecas aumentem, tanto nos EUA quando em outrosmercados no mundo. (Reportagem adicional de Steven C. Johnson em Nova York)

MARK FELSENTHAL, REUTERS

17 de setembro de 2007 | 15h22

Tudo o que sabemos sobre:
MACROGREENSPANCONSOLIDA

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.