Gregos dizem que vão aderir a protesto europeu do dia 29

ATENAS

, O Estado de S.Paulo

24 de setembro de 2010 | 00h00

A maior central sindical do setor privado da Grécia afirmou, ontem, que se unirá aos protestos pela Europa contra as medidas de austeridade aprovadas pelos governos.

As manifestações estão marcadas para o próximo dia 29.

A Confederação Geral Grega do Trabalho (GSEE, na sigla em grego) representa 800 mil trabalhadores e já realizou várias paralisações contra as medidas do governo para cortar gastos. Essa medidas foram impostas pelo Fundo Monetário Internacional (FMI) e pela União Europeia, como contrapartida a um pacote de ajuda de 110 bilhões para evitar que o país quebre.

"Em 29 de setembro, todos os trabalhadores e cidadãos em todos os países da Europa irão se mobilizar a protestar contra as políticas antitrabalho, antissociais e neoconservadoras da União Europeia", afirmou a GSEE em comunicado. A central sindical marcou um protesto no centro de Atenas no dia 29. A GSEE não pediu, porém, que seus membros façam greve para participar do protesto, apesar de esperar um grande contingente de pessoas para a manifestação.

A GSEE esclareceu, porém, que não participará de uma greve nacional anunciada pela central sindical do setor público, ADEDY, no dia 7 de outubro, apesar de notar que apoia a causa do funcionalismo. A ADEDY, que representa 400 mil trabalhadores, / DOW JONES NEWSWIRES

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.