Nikolas Giakoumidis/AP
Nikolas Giakoumidis/AP

Gregos param desfile militar em protesto contra cortes

Centenas de manifestantes entraram em confronto com a polícia e insultaram o presidente grego 

Gabriel Bueno, da Agência Estado,

28 de outubro de 2011 | 10h43

Manifestantes descontentes com as medidas de austeridade anunciadas pelo governo da Grécia bloquearam nesta sexta-feira uma parada militar anual na segunda maior cidade do país, Tessalonica, que lembrava a entrada da Grécia na Segunda Guerra.

Centenas de manifestantes entraram em confronto com a polícia e insultaram o presidente grego, Karolos Papoulias, que estava presente, informou a televisão estatal. Papoulias e o ministro da Defesa grego, Panos Beglitis, deixaram a parada, qualificando o protesto como "vergonhoso".

Em maio de 2010, a Grécia escapou por pouco de um calote com a ajuda de um pacote de 110 bilhões de euros do Fundo Monetário Internacional (FMI) e da União Europeia, em troca de ajustes nas contas do país. Agora, a Grécia busca um segundo pacote de ajuda.

Porém as várias medidas de austeridade pioraram a recessão. A economia grega enfrenta o quinto ano de contração, com aumento do desemprego e muitas falências. Ao mesmo tempo, a popularidade do governista Partido Socialista caiu a baixas históricas.

Mais cedo neste mês, a Grécia tomou novas medidas de austeridade para receber mais ajuda, o que gerou greves e protestos quase diários, culminando com uma greve geral de 48 horas que paralisou o país na semana passada.

Em comunicado, o ministro das Finanças, Evangelos Venizelos, disse que o protesto reflete a visão de um grupo pequeno de sindicalistas e partidos políticos. O partido de direita Laos condenou a manifestação. As informações são da Dow Jones.

Tudo o que sabemos sobre:
Gréciaprotestoscrise

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.