finanças

E-Investidor: "Você não pode ser refém do seu salário, emprego ou empresa", diz Carol Paiffer

Gregos vão protestar contra medidas de austeridade no 1º de maio

Expectativa é que a greve consiga levar milhares de desempregados do setor público e privado às ruas 

Patrícia Braga, da Agência Estado,

30 de abril de 2012 | 13h13

ATENAS - Os trabalhadores gregos marcaram uma greve para o Dia do Trabalho em protesto contra as medidas de austeridades que empurraram o país para uma profunda recessão, dias antes da eleição na qual os dois principais partidos precisam convencer os eleitores da necessidade dos cortes. A expectativa é que a greve de amanhã consiga levar às ruas milhares de trabalhadores desempregados do setor público e privado. O comércio ficará fechado assim como as repartições públicas.

Os dois maiores sindicatos de trabalhadores gregos - GSEE do setor privado e o ADEDY do setor público - convocaram uma manifestação para o centro de Atenas amanhã, enquanto um grupo separado de manifestantes de esquerda fará outra manifestação em um local próximo.

"A greve desde ano no Dia do trabalho terá características de uma batalha especial contra as contínuas severas medidas neoliberais injustas, antissociais", afirmou o GSEE em comunicado. "Os trabalhadores e os sindicatos estão preparados para a batalha."

Os temores são de que a violência seja o tom dos protestos normalmente pacíficos, embora a polícia tenha dito que espera apenas conflitos modestos nas ruas.

A economia da Grécia está agora em seu quinto ano de recessão, que piorou após as medidas de austeridade que o governo grego tomou para tentar conter a lacuna no orçamento, em troca de pacotes de resgate de seus parceiros europeus e do Fundo Monetário Internacional.

Pelo menos um em cada cinco trabalhadores gregos está desempregado e mais de 60 mil varejistas fecharam as portas nos últimos dois ano. Os últimos dados divulgados mostraram que os volumes de vendas no varejo em fevereiro caíram 11,8% em termos ajustados à inflação após os gastos do consumidor terem despencado e a economia grega ter continuado a se deteriorar.

É neste cenário que os eleitores gregos decidirão no próximo domingo o retorno dos dois principais partidos gregos - o Socialista Pasok e o conservador Nova Democracia - ao poder, cuja primeira medida será manter as medidas de austeridade reclamada pelos credores do país. As informações são da Dow Jones.

Tudo o que sabemos sobre:
GréciaGreveCriseDia do Trabalho

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.