Greve atinge 70% da Caixa

Assembléias decidem manter paralisação nacional

Marcelo Rehder e Gustavo Freire, O Estadao de S.Paulo

04 de outubro de 2007 | 00h00

No primeiro dia da greve nacional dos bancários da Caixa Econômica Federal, o movimento foi parcial. Segundo a Confederação Nacional dos Trabalhadores no Ramo Financeiro (Contraf-CUT), a paralisação afetou 70% das agências da Caixa no País. Foi o suficiente para que a diretoria do banco convocasse uma rodada de negociações, que não havia terminado até as 20 horas de ontem.''''Os bancários exigem uma proposta com avanços para que ela possa ser avaliada nas assembléias'''', comentou Vagner Freitas, presidente da Contraf-CUT. Em assembléias realizadas ontem, os trabalhadores decidiram manter a greve. Em São Paulo, Osasco e região, onde a adesão chegou a 61%, foram paralisadas 126 das 247 agências. Outras 21 agências funcionaram parcialmente, enquanto sete centros administrativos permaneceram fechados. Ao todo, 3,5 bancários cruzaram os braços nesses locais.''''A Caixa passou todo o processo de negociação sem apresentar propostas'''', disse Luiz Carlos Marcolino, presidente do Sindicato dos Bancários de São Paulo, Osasco e Região. ''''Está na mão do banco resolver o impasse.'''' Os funcionários do Banco do Brasil (BB) e dos bancos privados de Brasília decidiram ontem à noite voltar ao trabalho hoje. ''''Optamos por suspender a greve para concentrarmos esforços na paralisação da Caixa e melhor organizarmos o movimento como um todo'''', disse o diretor do Sindicato dos Bancários de Brasília, Eduardo Araújo. O sindicalista admitiu que o movimento ontem contou com uma adesão abaixo do esperado no BB e nos bancos privados.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.