Greve causa ociosidade de 80% em portos secos

A paralisação dos auditores fiscais da Receita Federal já provoca uma ociosidade média de 80% nas Estações Aduaneiras de Interior (Eadis), também chamadas de portos secos. A informação é do presidente-executivo da Associação Brasileira de Empresas Operadoras de Regime Aduaneiro (Abepra), Luiz Manoel Mascarenhas. "Estamos vivendo o caos", disse.O protesto dos auditores fiscais começou em abril e se intensificou este mês, trazendo atrasos para a liberação de cargas de importação. Segundo a Abepra, existem no Brasil 57 Eadis, num total de 4,8 milhões de metros quadrados de recintos alfandegados.De acordo com Mascarenhas, o setor gera até 20 mil empregos diretos e indiretos. Ele acredita que os portos secos terão uma queda significativa nas receitas no mês de junho, em relação ao mesmo período do ano passado. "Ainda não temos nem idéia do prejuízo; só sabemos que tanto as Eadis como os importadores estão perdendo muito dinheiro com o protesto dos fiscais", afirmou.Mascarenhas participou hoje de seminário sobre aeroportos na sede da "Gazeta Mercantil", em São Paulo.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.