DANIEL TEIXEIRA/ESTADÃO
DANIEL TEIXEIRA/ESTADÃO

Greve de aeronautas de táxi aéreo é suspensa após TST marcar audiência

Tribunal Superior do Trabalho (TST) acolheu o pedido da categoria de dissídio coletivo de greve e marcou uma audiência de conciliação

Mariana Durão, O Estado de S. Paulo

31 de agosto de 2015 | 13h54

RIO - A paralisação de pilotos, comissários de voo e aeroviários de táxi aéreo, que começaria nesta segunda-feira, 31, em Macaé (RJ), e iria pelo menos até o dia 3 de setembro, está suspensa. O Tribunal Superior do Trabalho (TST) acolheu o pedido da categoria de dissídio coletivo de greve e marcou uma audiência de conciliação e instrução para amanhã, às 15h, em Brasília.

O Sindicato Nacional dos Aeronautas (SNA) foi notificado e decidiu suspender o movimento até que haja uma definição na Justiça. Depois de Macaé a greve ocorreria em Cabo Frio (RJ), Curitiba (PR) e Vitória (ES).

Segundo o sindicato o TST, representado por seu vice-presidente, ministro Ives Gandra Martins Filho, buscará a construção de um entendimento entre os trabalhadores e as empresas do setor. Se não houver acordo, os termos de renovação da Convenção Coletiva de Trabalho (CCT) da categoria serão decididos pelo ministro.

A greve havia sido definida em assembleia no dia 18 de agosto, quando os aeronautas consideraram que as negociações para a renovação da convenção coletiva se esgotaram sem que houvesse uma proposta satisfatória. O embate entre o SNA e o Sindicato Nacional das Empresas de Táxi Aéreo (Sneta) se arrasta desde o fim do ano passado. A data base da categoria é 1º de dezembro. De acordo com o sindicato dos trabalhadores as companhias ofereceram 0% de reajuste salarial.

Após uma mediação do TST, foi formulada uma proposta de 3,17% de reajuste nos salários sem retroação - recusada integralmente em assembleia da categoria, que decidiu pela paralisação, já que não haveria sequer a reposição inflacionária.

"O SNA espera para a audiência do dia 1º que as empresas apresentem uma proposta que garanta direitos básicos, além da reposição inflacionária do período", diz o sindicato em nota publicada em seu site. 

Tudo o que sabemos sobre:
economiagreveaeronautastáxi aéreo

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.