Greve de bancários perde adesão no Rio

O nível de adesão à greve dos bancários, no Rio, recuou de 70%, no início do movimento, para 60%. A informação é do Sindicato dos Bancários do Rio. "Estamos entrando no 14º dia de greve, então há um desgaste natural", diz o presidente da entidade, Vinícius de Assumpção. Ao todo, são em torno de 40 mil trabalhadores da categoria no Estado. O sindicalista afirma que o movimento grevista permanece mais forte entre os funcionários do Banco do Brasil e da Caixa Econômica Federal. Assumpção também diz que os bancários aguardam nova proposta da Federação Brasileira de Bancos (Febraban), já que oferta dos bancos de reajuste de 8,5% e abono de R$ 30 para salários acima de R$ 1,5 mil foi negada. Brasília - O porta-voz da presidência da República, André Singer, disse há pouco que a Caixa Econômica Federal (CEF) informou ao governo que, apesar da greve dos bancários, as famílias cadastradas estão recebendo sem dificuldades os recursos do bolsa-família, desde o dia 24 de setembro, e que há condições de manter este padrão de normalidade daqui para frente.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.