Greve de caminhoneiros teve baixa adesão

A greve nacional de caminhoneiros convocada para ontem pelo Movimento União Brasil Caminhoneiro teve baixa adesão, mas os protestos provocaram lentidão em algumas rodovias. A paralisação é uma reação a medidas de regulamentação da profissão da Agência Nacional de Transportes Terrestres (ANTT).

O Estado de S.Paulo

26 de julho de 2012 | 03h08

No Rio Grande do Sul, um grupo de caminhoneiros que disse não ser ligado a qualquer sindicato bloqueou o quilômetro 66 da BR-392, entre Pelotas e Rio Grande, por meia hora, no período da manhã. Representantes do Movimento União Brasil Caminhoneiro confirmaram que o bloqueio não foi promovido por motoristas ligados à entidade. Em postos próximos a Porto Alegre, Santa Maria e Vacaria houve concentração de caminhoneiros ontem para comemorar o Dia do Motorista com churrascos.

Em Minas Gerais, houve lentidão e filas de caminhões em várias rodovias do Estado, e a Polícia Rodoviária Federal deteve três manifestantes que tentavam bloquear a BR-381, em Monlevade. A intervenção da polícia fez com que os manifestantes concordassem em manter o protesto apenas em parte da pista na altura do quilômetro 359, o que causou lentidão no tráfego na rodovia que liga a capital mineira ao Espírito Santo. Além de Monlevade, também ocorreram concentrações de caminhoneiros em outras rodovias na área central do Estado e em municípios da região metropolitana de Belo Horizonte.

No Paraná, o local com maior concentração de caminhões foi o quilômetro 67 da BR-116, em Campina Grande do Sul, onde cerca de 100 caminhões ficaram estacionados até meio-dia. Durante a tarde, a mobilização foi perdendo força e, segundo a polícia, até o início da noite havia apenas um grupo de caminhoneiros no trecho da rodovia PR-182, em Palotina. Houve manifestações nas rodovias BR-280, no trevo de Marmeleiro; na PR 182, quilômetro 462, em Realeza; PR-493, em Tapejara do Sul; e também nas rodovias PR-180 e PR-566, na região de Dois Vizinhos.

A greve dos caminhoneiros também não vingou na região de Ribeirão Preto. Manifestantes tentaram no início da madrugada de ontem fechar a Rodovia Cândido Portinari, no trecho entre Franca e Cristais Paulista, mas foram impedidos pela Polícia Militar e pela Polícia Rodoviária Federal.

Para o presidente do Sindicato dos Transportadores Autônomos da região, Jonas Elias Ferreira, a intervenção da PM atrapalhou o movimento. "Não estamos conseguindo expressar a nossa indignação." / JULIO CESAR LIMA (CURITIBA), RENE MOREIRA (FRANCA), ESPECIAIS PARA O ESTADO, COM MARCELO PORTELA (BELO HORIZONTE) E ELDER OGLIARI (PORTO ALEGRE)

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.