Greve do INSS é ilegal, afirma ministro da Previdência

Segundo José Pimentel, trabalhadores paralisados estão descumprindo acordo firmado em julho de 2008

Isabel Sobral, da Agência Estado,

23 de junho de 2009 | 13h28

O ministro da Previdência Social, José Pimentel, classificou como "ilegal" nesta terça-feira, 23, a greve dos servidores do Instituto Nacional do Seguro Social (INSS). Segundo o ministro, os servidores com a paralisação estão ainda descumprindo um acordo firmado em julho de 2008 no âmbito da concessão de reajuste salarial para os funcionários públicos dado pelo governo federal. "Se tem alguém que está descumprindo a lei e descumprindo decisão judicial não é o Executivo", declarou o ministro.

 

Ele lembrou que o Superior Tribunal de Justiça (STJ) concedeu liminar preventiva contra o movimento grevista e que ela está sendo descumprida.

 

Pimentel acrescentou que a greve é pontual, porque está afetando o funcionamento de poucas agências da Previdência no País. "Estamos monitorando diariamente o funcionamento das agências", comentou, após a entrevista coletiva convocada para anunciar o resultado mensal das contas previdenciárias.

Tudo o que sabemos sobre:
INSSgreveJosé PimentelPrevidência

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.