Greve dos auditores afeta a indústria argentina

O governo argentino solicitou ao Brasil informações sobre a greve dos auditores da Receita Federal que está afetando vários setores da indústria argentina. "Qualquer greve que impede o fluxo de mercadoria prejudica as indústrias, especialmente neste caso, em que várias indústrias argentinas se abastecem de peças e insumos de Brasil", explicou o secretário de Indústria da Argentina, Fernando Fraguío.O secretário conversou com o Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior no início desta semana, para "solicitar aos nossos colegas brasileiros que favoreçam o tráfego das mercadorias e encontramos boa vontade e predisposição em solucionar o problema".Os representantes dos setores automobilístico e de metal-mecânica da Argentina são os mais prejudicados pela greve que já dura um mês, segundo levantamento do secretário. São estes setores que bateram à porta de Fraguío para pedir ajuda, já que suas produções estão seriamente afetadas. As que não estão paralisadas, como a Renault, estão trabalhando no limite de sua produção por falta de peças, como a General Motors.Montadoras"Ainda não paramos, mas estamos no limite. Para não parar, estamos transportando as peças mais importantes em avião desde que começou a greve, mas agora os auditores não estão deixando embarcar tampouco a mercadoria nos aeroportos", disse o Gerente de Relações Institucionais da GM, Bernardo Garcia. "Isso nos está preocupando muito porque a situação no Brasil se está prolongando demasiadamente e não queremos deter a produção das plantas", completou Garcia.A francesa Renault desativou parcialmente suas máquinas ontem em sua planta de Córdoba, suspendendo, por três dias, as atividades de cerca de 1.100 trabalhadores das áreas de soldagem, montagem, motores e pintura, que receberão 70% de seus salários. A Renault também sofre o desabastecimento de peças dos fornecedores locais, que se encontram em negociação salarial. O problema maior, contudo, é mesmo provocado pela falta de autopeças e matérias-primas, especialmente o aço, para a fabricação de peças do Brasil.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.