Greve dos fiscais causou distorção nas exportações de soja

O salto nas exportações brasileiras de soja na segunda semana de setembro reflete, segundo fontes do governo, o início da regularização por parte da Receita Federal dos embarques do produto realizados durante a greve dos fiscais da Receita em maio e junho e que ainda não tinham sido registradas no Siscomex. A média diária das exportações de soja pulou de US$ 37,765 bilhões na primeira semana para US$ 74,310 milhões na segunda semana. Os dados das exportações estão sob investigação do governo para apurar uma diferença calculada em US$ 600 milhões entre os registros do Siscomex e os embarques contabilizados pelo setor privado. Segundo a fonte, a diferença foi gerada por problemas operacionais na Receita Federal. A greve da Receita, informou, provocou "um engarrafamento no sistema", ou seja, os exportadores fizeram suas vendas durante a paralisação através de termos de compromisso que não foram efetivados ainda pelos fiscais na aduana. Não houve engarrafamento físico nas vendas de soja, assegura a fonte. As investigações apontam para Paranaguá, principal porto de embarque de soja do País, o local onde teriam ocorrido os problemas no registro das exportações.

Agencia Estado,

16 de setembro de 2002 | 19h48

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.