Greve em Paranaguá afeta a balança, diz ministro

O ministro da Agricultura, Roberto Rodrigues, disse hoje que a greve no porto de Paranaguá irá reduzir o superávit na balança comercial em março. ?Essa situação de fato está criando uma dificuldade nas exportações. Estamos conversando com o governo do Paraná para buscar a melhor saída?, informou. De acordo com o ministro, o papel dele nas negociações será ?conversar, conversar e conversar?. Rodrigues, que esteve na capital cearense participando da abertura do 3º Irriga Ceará, teve que antecipar a volta por causa da greve. O ministro admitiu que os recursos no Orçamento da União "não são suficientes para atender a todas as demandas da área rural e de infra-estrutura logística". Segundo ele, "o PPP ? parceria público-privada -, que está prestes ser regulamentado pelo Congresso Nacional, é o grande horizonte de investimento na área de infra-estrutura?. Rodrigues admitiu ?uma perda significativa? da produção de grãos neste ano. Ele informou que até o dia 15 de abril será concluído o levantamento nacional de perdas provocadas pelo excesso de chuva no Nordeste, pela seca no Sul e pela ferrugem que atacou a soja no Centro-Oeste. Sobre um eventual aporte financeiro por parte do governo, ele disse que é melhor esperar a conclusão do estudo. Ele também admitiu que o péssimo estado das estradas brasileiras é um entrave para o setor. ?A chuvarada não permitiu que se consertasse e ainda abriu buracos novos. Estamos trabalhando com um projeto mais amplo com relação a esse assunto. Apresentamos ao Ministério dos Transportes um mapa com as principais rodovias brasileiras usadas para o escoamento da safra, mostrando a tonelagem que passava por cada estrada. Isso define prioridades. E é com esse horizonte que trabalhamos hoje?, disse.

Agencia Estado,

23 Março 2004 | 17h45

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.