Greve geral contra austeridade paralisa Portugal

Protesto é liderado por centrais sindicais; reformas resultam em desemprego recorde e na pior situação econômica desde os anos 70

Reuters,

27 de junho de 2013 | 16h46

LISBOA - O transporte público em Portugal ficou praticamente paralisado nesta quinta-feira, 27, por causa de convocação de greve geral de um dia.

A paralisação é liderada pelas duas maiores centrais sindicais do país e é contra as medidas de austeridade que resultaram em desemprego recorde e na pior situação econômica desde os anos 70.

As centrais esperam que a quarta greve geral em dois anos pressione o governo a tomar medidas de incentivo ao crescimento e a relaxar o aperto de cinto, que levou aos maiores aumentos de impostos vistos nos últimos anos.

Os trens não estavam funcionando, serviços de metrô e barcas pararam de operar em Lisboa e muitas linhas de ônibus estavam suspensas, o que forçou aqueles que decidiram ir trabalhar a buscar caminhos alternativos mais longos e que tinham menos ônibus à disposição.

A companhia aérea estatal TAP alertou sobre possíveis problemas em voos, mas não cancelou nenhuma partida.

Tudo o que sabemos sobre:
portugalcrise

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.