Greve na Volks do Paraná será decidida pela Justiça

Em razão do impasse para o término da greve dos 3,5 mil metalúrgicos da fábrica da Volkswagen em São José dos Pinhais, na região metropolitana de Curitiba, a direção da montadora pediu que o Tribunal Regional do Trabalho (TRT) faça o julgamento. Os trabalhadores estão em greve desde o dia 3.

EVANDRO FADEL, Agencia Estado

18 de setembro de 2009 | 16h19

Na manhã de hoje, mais uma audiência de conciliação foi infrutífera. A empresa ofereceu os mesmos itens que foram aceitos pelos trabalhadores da Renault/Nissan e da Volvo, ambas instaladas no Paraná. A oferta inclui reajuste salarial de 7,57% e abono de R$ 2 mil. Além disso, comprometeu-se a aumentar o adicional noturno para 25% a partir de agosto de 2010. Os metalúrgicos querem que esse adicional seja concedido imediatamente e pedem reorganização na grade salarial, equiparando-se à planta de São Bernardo do Campo (SP). Segundo o sindicato, a fábrica deixou de produzir 10.640 automóveis.

Tudo o que sabemos sobre:
grevemetalúrgicosVolkswagenParaná

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.