Greve não é único motivo para queda no comércio, diz Furlan

O ministro do Desenvolvimento, Indústria e Comércio exterior, Luiz Fernando Furlan, afirmou hoje que as quedas registradas nas exportações e importações na semana passada não podem ser atribuídas apenas à greve dos fiscais da Receita Federal. Segundo ele, além de problemas de chuva, foi constatada uma "assimetria no desempenho de diferentes portos do País". O Porto de Paranaguá, por exemplo, teve uma queda maior nos embarques e nos desembarques, do que o Porto de Santos.Furlan comentou que pediu à Secretaria de Comércio Exterior um levantamento detalhado sobre os embarques e desembarques de produtos em cada um dos portos. Questionado se o fato de a greve dos fiscais da Receita se repetir a cada ano sem que haja uma solução definitiva para este problema, Furlan limitou-se a declarar: "Polícia Federal é com o Ministério da Justiça. Receita Federal é com o Ministério da Fazenda. Mas estamos tratando desse assunto na Câmara de Política Econômica", disse.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.