Greve no IBGE impede divulgação da taxa média de desemprego

Uma greve de servidores do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), que atinge parcialmente as atividades do instituto há um mês, impediu a divulgação nesta quinta-feira da taxa média de desemprego do país relativa a junho. Com isso, o instituto optou por informar os resultados de cinco das seis regiões metropolitanas que compõem o indicador.

Reuters

26 de julho de 2012 | 09h35

A região do Rio de Janeiro, a segunda mais importante da pesquisa atrás apenas de São Paulo, não teve seus dados divulgados.

Os dados parciais mostram que em São Paulo a taxa de desemprego subiu para 6,5 por cento em junho ante 6,2 por cento em maio. Em Porto Alegre houve redução para 4,0 por cento ante 4,5 por cento em maio.

Belo Horizonte registrou uma taxa de desemprego de 4,5 por cento em junho, ante 5,1 por cento no mês anterior. O indicador relativo a Salvador atingiu 7,9 por cento ante 8,0 por cento em maio, enquanto em Recife a taxa de desemprego em junho foi de 6,3 por cento, acima dos 5,9 por cento de maio.

Segundo o IBGE, por enquanto a greve não prejudica a produção de outras pesquisas a serem divulgadas nas próximas semanas, incluindo o Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo relativo a julho, previsto para ser divulgado em 8 de agosto.

Já o Sindicato Nacional dos Servidores do IBGE informou que há prejuízo na compilação dos dados e na qualidade das informações, uma vez que boa parte dos trabalhadores permaneceu parada entre junho e julho.

(Por Rodrigo Viga Gaier)

Tudo o que sabemos sobre:
MACRODESEMPREGOJUNHO*

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.