Greve nos Correios retém pedido de habeas-corpus de Cacciola

Advogado do ex-banqueiro precisou ir pessoalmente a Brasília pra distribuir a ação no Supremo Tribunal Federal

Da Redação,

07 de julho de 2008 | 16h53

O pedido de habeas-corpus que busca impedir a extradição do ex-banqueiro Salvatore Cacciola para o Brasil está retido nos Correios por causa da greve dos funcionários da empresa, segundo informações da rádio CBN. Veja também:Sem acordo no TST, greve nos Correios continuaDefesa de Cacciola entra com recurso no STF contra prisãoMônaco dá palavra final, e Cacciola será extraditadoEntenda o caso do ex-banqueiro Salvatore Cacciola Os advogados de Cacciola postaram a ação endereçada ao Supremo Tribunal Federal (STF) pelo Sedex 10 na última quinta-feira, 3, mas a correspondência não chegou a Brasília. Ao entrar em contato com a Empresa Brasileira de Correios e Telégrafos (ECT), eles receberam a informação de que os documentos não seriam entregues até o fim da paralisação dos trabalhadores, que não tem previsão para acontecer. O imprevisto obrigou o advogado Carlos Eluf, de São Paulo, a distribuir pessoalmente o habeas-corpus em Brasília, o que aconteceria ainda nesta segunda, segundo a CBN.

Mais conteúdo sobre:
CorreiosGreveSalvatore Cacciola

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.