Greve pára a produção de antenas e receptores na Tecsat

Cerca de 300 trabalhadores da empresa Tecsat, de São José dos Campos, entrarão no segundo dia de greve na quarta-feira. A produção de antenas parabólicas e receptores de TV foi paralisada no início da manhã desta terça-feira.Os operários reclamam o atraso nos salários há quatro meses e afirmam que a empresa não tem feito o depósito do Fundo de Garantia por Tempo de Serviço (FGTS). "Acordos foram feitos em outras situações como esta, eles prometem que vão cumprir e não cumprem", disse o sindicalista Valmir Martins, durante a assembléia da manhã.Uma nova reunião entre representantes do Sindicato dos Metalúrgicos e da empresa foi realizada no período da tarde. De acordo com a entidade a empresa ofereceu pagar o piso salarial de cerca de R$ 600 e parcelar em dez vezes os salários atrasados. "Também nos ofereceram três máquinas que segundo eles valem um milhão de reais. Mas o sindicato não tem interesse em máquinas. Os trabalhadores querem dinheiro", disse o diretor sindical Ademir Tavares Paixão.Depois da reunião uma nova assembléia foi realizada e os operários não aceitaram a proposta da Tecsat e votaram dar continuidade à paralisação.Em concordata há seis anos a empresa, em crise, informou que tenta resolver a situação com cada trabalhador e que vai cumprir com suas obrigações. Uma nova rodada de negociações será feita na quarta-feira, às 9 horas da manhã. "Enquanto eles não pagarem os salários atrasados não voltamos ao trabalho", prometeram os funcionários.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.