Aureo Berger/Divulgação-20/10/2008
Aureo Berger/Divulgação-20/10/2008

Greve para porto em Xangai

Manifestação de caminhoneiros contra a alta dos combustíveis já afeta exportações

, O Estado de S.Paulo

23 de abril de 2011 | 00h00

XANGAI

Motoristas de caminhões em greve protestaram ontem pelo terceiro dia no principal distrito portuário de Xangai. A ação já começa a prejudicar as exportações no maior porto de contêineres do mundo. A greve demonstra a irritação com os preços crescentes ao consumidor e com os elevados custos dos combustíveis na China.

O governo chinês tem dificuldade para conter a inflação, que atingiu 5,4% em março, e teme que os preços em ascensão possam causar protestos como os que ocorreram recentemente no Oriente Médio.

Cerca de 600 pessoas se amontoaram em frente ao escritório de uma empresa de logística perto do Porto Baoshan. Alguns atiravam pedras nos caminhões dos motoristas que não aderiram ao movimento.

Os grevistas, muitos deles empreiteiros que transportam produtos para os portos, pararam de trabalhar na quarta-feira, exigindo que o governo faça algo sobre o alto custo dos combustíveis e as elevadas taxas cobradas pelas empresas de logística.

A China teme qualquer ameaça à estabilidade social após apelos feitos na internet pela realização de protestos inspirados na "Revolução de Jasmim" do mundo árabe. Dezenas de dissidentes, incluindo o renomado artista Ai Weiwei, foram presos. / REUTERS

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.