Greve superlota terminal de cargas em Viracopos-SP

A greve dos auditores fiscais, que completa 33 dias hoje, provocou superlotação no terminal de cargas de importação e exportação do Aeroporto Internacional de Viracopos, em Campinas, interior de São Paulo. O movimento no setor tem registrado grande volume por causa da aproximação do Dia das Mães, segundo empresários ligados ao Centro das Indústrias do Estado de São Paulo (Ciesp). A liberação gradual das cargas paradas vem sendo operada com 30% do efetivo na Alfândega em Viracopos. O desembaraço das mercadorias, principalmente de produtos perecíveis e artigos de medicamentos, ganhou corpo com a liminar, no começo do mês, expedida pelo juiz federal Marco Aurélio de Mello Castrianni, da 1ª Vara Civil da Justiça Federal, válida para a aduana da Superintendência da 8ª Região Fiscal (São Paulo). De acordo com a assessoria da Empresa Brasileira de Infra-Estrutura Aeroportuária (Infraero), cerca de 90% das cargas que chegam ao Aeroporto Internacional de Viracopos são despachadas pelo canal verde. Por esse sistema, a liberação é automática, sem a necessidade de uma fiscalização direta dos auditores fiscais. Não há números oficiais de quanto está retido por causa da greve dos auditores e nenhum representante local do sindicato foi localizado para comentar o assunto neste feriado de Tiradentes.Em assembléia na última sexta-feira, ao completar um mês de paralisação, o Sindicato Nacional de Auditores Fiscais da Receita Federal deliberou pela continuidade da greve. A categoria decidiu realizar um ato público em Brasília na quinta-feira e depois uma visita ao Congresso Nacional.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.