Greve suspende entrega de 28 milhões de cartas

A greve atingiu hoje 38% dos seus 110 mil funcionários em 22 Estados e no Distrito Federal

Gerusa Marques, da Agência Estado,

03 de julho de 2008 | 20h03

Cerca de 28 milhões de objetos, entre cartas e encomendas, deixaram de ser entregues pelos Correios desde o início da greve dos seus funcionários, na terça-feira. Segundo a Empresa Brasileira de Correios e Telégrafos (ECT), são entregues, em condições normais de operação, cerca de 33 milhões de objetos diariamente.A greve, segundo a empresa, atingiu hoje 38% dos seus 110 mil funcionários em 22 Estados e no Distrito Federal. De acordo com a ECT, o maior porcentual de adesão ocorre em Pernambuco, onde 77% dos funcionários estão parados. A menor adesão acontece em São Paulo, com 17% dos funcionários em greve. Continuam suspensos os serviços de entrega com hora marcada, como Sedex 10, Sedex Hoje e Disque Coleta.A ECT está descontando os dias parados e entrou hoje no Tribunal Superior do Trabalho (TST) com pedido para que a greve seja declarada abusiva e para que o TST determine um contingente mínimo de pessoal para o trabalho. O Tribunal irá marcar audiência de conciliação.O presidente do Sindicato dos Trabalhadores nos Correios do Distrito Federal, Moysés Leme, disse que a paralisação atinge 70% dos trabalhadores da área operacional. Segundo ele, Mato Grosso, Mato Grosso do Sul, Tocantins e Amapá não aderiram ao movimento.Os grevistas reivindicam um salário de carteiro de R$ 1.119 por mês. A ECT informa que, com o adicional de R$ 260 pago a partir de junho, o salário atual é de R$ 863 mensais.

Mais conteúdo sobre:
Correios

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.