Grevistas encerram paralisação no BB e em bancos privados

Os funcionários de bancos privados e do Banco do Brasil aprovaram a nova proposta da Fenaban e decidiram encerrar a greve nesta quarta-feira, mas os bancários da Caixa rejeitaram a oferta e optaram por manter a paralisação, informou em comunicado a Confederação Nacional dos Trabalhadores do Ramo Financeiro da CUT (Contraf-CUT).

Reuters

26 de setembro de 2012 | 22h53

Em greve desde o dia 18, os bancários devem voltar ao trabalho na quinta-feira em capitais como São Paulo, Rio de Janeiro, Brasília, Belo Horizonte, Curitiba e Campo Grande e em Estados como Pernambuco, Piauí, Mato Grosso e Alagoas.

Já os bancários da Caixa manterão o movimento de greve em São Paulo, Brasília, Rio de Janeiro, Belo Horizonte, Porto Alegre, Pará, Ceará, Bahia e Sergipe.

"Vamos fortalecer a greve na Caixa, buscando cobrar mais avanços para os trabalhadores", afirmou o presidente da Contraf-CUT e coordenador do Comando Nacional dos Bancários, Carlos Cordeiro, no comunicado.

A Federação Nacional dos Bancos (Fenaban) elevou para 7,5 por cento a proposta de reajuste salarial, um aumento real de 2 por cento.

A proposta também prevê aumento de 8,5 por cento no piso salarial e nos auxílios-refeição e alimentação e elevação de 10 por cento na parcela fixa da Participação nos Lucros e Resultados.

Os bancários reivindicavam 5 por cento de aumento real no reajuste salarial.

Tudo o que sabemos sobre:
BANCOSGREVEFIM*

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.