Gripe suina reduz crescimento do México, diz BM

Comércio, hotéis e restaurantes foram prejudicados pelo receio de contágio da doença

Reuters,

22 de junho de 2009 | 05h08

O crescimento do México no segundo trimestre será reduzido em 2,2% do Produto Interno Bruto como consequência da Influenza A (H1N1), mais conhecida como gripe suína. A previsão foi feita pelo Banco Mundial.

 

"Se os recentes níveis de transtorno ao comércio, hotéis e restaurantes persistirem na Cidade do México , poderão reduzir o PIB do segundo trimestre em até 2,2%", menciona o Relatório do Desenvolvimento Global em 2009, durante a conferência internacional de Seul.

 

A economia mexicana caiu 8,2% no primeiro trimestre, se comparado ao mesmo trimestre de 2008, a maior contração econômico desde 1995.

 

Mas alguns especialistas dizem que a economia do México pode ter atingido o seu piso e poderá crescer já no segundo semestre de 2009. Na semana passada o Banco Central Mexicano cortou as taxas de juros pelo sexto mês consecutivo, tendo advertido, porém, que o ciclo de cortes está perto do fim.

Tudo o que sabemos sobre:
Méxicogripe suína

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.