Gros diz que Petrobrás poderá investir mais

O presidente da Petrobrás, Francisco Gros, disse, ao final do Congresso Mundial do Petróleo, no Rio, que a estatal ficará menos "engessada" para realizar seus investimentos com medida incluída no acordo entre Brasil e o Fundo Monetário Internacional (FMI). A medida determina que os investimentos feitos pela estatal no próximo ano, que ultrapassarem as metas pré-estabelecidas, não sejam incluídos nos cálculos do superávit primário. "Todas as conversas do governo com o FMI vinham sendo no sentido de excluir a Petrobrás deste cálculo", explicou. Segundo Gros, o papel da estatal no negócio foi "prestar informações que caracterizassem a empresa como independente do Tesouro Nacional". "Mostramos documentos que mostram nossa independência financeira da Fazenda, para mostrar que não havia lógica de incluir a Petrobrás no Orçamento Público", disse.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.