Coluna

Thiago de Aragão: China traça 6 estratégias para pós-covid que afetam EUA e Brasil

Groupon vai à Justiça contra ex-funcionários

O Groupon processou dois ex-gerentes de vendas que conheciam informações confidenciais da empresa de compras coletivas e foram trabalhar no site concorrente do Google, segundo um documento judicial divulgado recentemente.

O Estado de S.Paulo

26 de outubro de 2011 | 03h05

O caso, registrado em um tribunal de Illinois, nos Estados Unidos, em 21 de outubro, cita os ex-funcionários do Groupon Brian Hanna e Michael Nolan, que deixaram a empresa em setembro para entrar para o Google Offers.

A ação judicial afirma que a contratação de Hanna e Nolan pelo Google resultaria na revelação de segredos comerciais para a concorrente.

As contratações violam o acordo de trabalho com o Groupon, que impedia os profissionais de trabalharem com um concorrente direto por 24 meses após a saída da empresa, informaram executivos do Groupon.

O Groupon busca uma ordem judicial para impedir que os ex-funcionários revelem informações confidenciais ao Google, o que causaria prejuízos "irreparáveis", conforme alegou a direção da empresa.

No ano passado, o Groupon rejeitou uma oferta de compra de US$ 6 bilhões feita pelo Google. O Groupon divulgou que planeja movimentar até US$ 540 milhões em uma oferta pública inicial de ações em data ainda não definida.

Representantes do Google e do Groupon não estavam disponíveis ontem para comentar o assunto./ REUTERS

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.