Adriano Machado/Reuters
Adriano Machado/Reuters

bolsa

E-Investidor: Itaúsa, Petrobras e Via Varejo são as ações queridinhas do brasileiro

Grupo Amaggi negocia compra da Fazenda Itamarati

Empresa da família do ministro Blairo Maggi estaria na reta final para adquirir propriedade de herdeiros de Olacyr de Moraes por US$ 300 milhões

Cátia Luz, Gustavo Porto e Murilo Rodrigues Alves, O Estado de S.Paulo

10 de janeiro de 2018 | 00h49

A Amaggi, empresa da família do ministro da Agricultura, Blairo Maggi (PP), negocia a compra da Fazenda Itamarati, em Mato Grosso, que pertence aos herdeiros de Olacyr de Moraes, antigo ‘Rei da Soja’, morto em 2015. O negócio, estimado em cerca de US$ 300 milhões, está na reta final de conclusão, apurou o ‘Estado’.

Segundo fontes próximas à empresa, a fazenda está arrendada ao Grupo Amaggi desde 2002, e as negociações para a aquisição da propriedade estariam acontecendo há alguns meses.

Localizada em Campo Novo do Parecis, a 400 quilômetros de Cuiabá, a fazenda tem uma área total de 105 mil hectares, sendo 51,59 mil de área produtiva, com culturas como soja, milho e algodão. Na propriedade, que faz parte dos ativos da Companhia Agrícola do Parecis (Ciapar), trabalham cerca de 700 funcionários.

Procurada, a Amaggi informou em nota que está “participando das negociações visando a aquisição da totalidade das ações do capital social da Ciapar”, mas que a conclusão das negociações depende da “satisfação de condições precedentes a sua formalização”.

Procurado pela reportagem, o ministro Blairo Maggi negou a conclusão do negócio.

Além da Fazenda Itamarati, a família de Olacyr de Moraes detém a Usinas Itamarati, localizada em Nova Olímpia, a 200 km da fazenda. A empresa, maior processadora de cana-de-açúcar de Mato Grosso, chegou a ser a maior produtora de álcool do mundo.

Com 40 anos de operação, o Grupo Amaggi é o terceiro maior produtor de soja do País. O nome da companhia homenageia o pai de Blairo, André Maggi. A empresa está presente também na Argentina, Paraguai, Holanda, Noruega e Suíça. Hoje, o grupo atua na originação e comercialização de grãos e insumos; produção agrícola e de sementes de soja; operações portuárias, transporte fluvial e geração e comercialização de energia elétrica.

Somente em Mato Grosso, o grupo administra 252,3 mil hectares de terras para agricultura, pecuária e reflorestamento. Do total, 200,4 mil hectares em 19 fazendas próprias. O grupo emprega 3,9 mil funcionários.

Ministro. Absorvido pela política, o engenheiro agrônomo Blairo Maggi acabou se distanciando da linha de frente da companhia.

Durante mais de uma década, ele foi o maior produtor de soja do País. Hoje é o terceiro maior. Eleito governador do Estado de Mato Grosso em 2002, foi reeleito em 2006 e deixou o cargo para concorrer ao Senado. Para se dedicar à carreira pública, repassou a gestão de sua empresa, a um conselho administrativo presidido por Pedro Jacyr Bongiolo. Em maio de 2016, assumiu o Ministério da Agricultura. 

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.