Grupo Areva compra 70% da Koblitz, de Pernambuco

O grupo nuclear francês Areva anunciou ontem a compra de 70% da empresa brasileira Koblitz, fornecedora de soluções integradas para a produção de energia a partir de fontes renováveis, especialmente a biomassa (que utiliza material orgânico). Os 30% restantes do capital da Koblitz continuarão em poder do fundador da companhia, Luiz Otávio Koblitz, e de seus principais diretores, informou a Areva em comunicado.O grupo francês não revelou o valor financeiro da transação, que reforça sua posição no Brasil, onde faturou 211 milhões em 2006 e tem mais de 1.200 empregados. Com sede em Recife (PE), a Koblitz tem mais de 500 empregados e já participou de 58 projetos que utilizam a cana-de-açúcar como combustível.Embora tenha adquirido uma empresa especializada em energias renováveis, a Areva não esconde que tem grande interesse na energia nuclear no Brasil. No final do ano passado, a empresa afirmou que estava apenas esperando uma definição do governo brasileiro sobre o futuro do uso de energia nuclear no País para iniciar investimentos significativos no setor. O grupo francês disse até estar disposto a oferecer uma nova tecnologia de reatores ao Brasil para que o projeto de Angra 3 pudesse ser modernizado. A empresa já tinha até assinado um contrato inicial com o governo brasileiro, quando o projeto foi paralisado. Mas a empresa lembrou que, em caso de retomada das obras, a Areva poderia participar do projeto sem que um novo entendimento tivesse de ser assinado. As informações são de agências internacionais e do jornal O Estado de S. Paulo.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.