ANDRÉ LESSA/AE
ANDRÉ LESSA/AE

Grupo Boticário prevê crescimento acima do mercado e abertura de 60 a 70 lojas em 2018

Presidente da companhia defende reforma trabalhista e já estuda contratação de funcionários de acordo com novos regimes de contratação

Dayanne Sousa, O Estado de S.Paulo

06 Dezembro 2017 | 14h40

O presidente do Grupo Boticário, Artur Grynbaum, afirmou que a receita da companhia vem crescendo acima da média do mercado de cosméticos e perfumaria e que a expectativa é manter esse ritmo em 2018. Após a abertura de 61 lojas em 2017, a empresa acredita que pode inaugurar entre 60 e 70 pontos de venda no ano que vem.

O executivo falou a jornalistas durante evento promovido pela companhia em São Paulo. Segundo Grynbaum, a expectativa em 2017 é que o mercado como um todo cresça 3%. Já o Grupo Boticário deve crescer o dobro, afirmou.

++ Eudora se reinventa e abandona apelo ‘sexy’

O executivo considerou que o mercado de cosméticos pode se beneficiar de um cenário de consumo mais positivo em 2018. A queda da inflação abre espaço para aumento do consumo destes itens, disse, ao mesmo tempo em que a confiança das famílias pode melhorar.

Reformas. Grynbaum defendeu a agenda de reformas do atual governo e considerou que a aprovação da reforma da Previdência é "fundamental". Sobre a reforma trabalhista, disse ainda que as novas regras trazem uma evolução necessária.

++ Natura vê espaço para expandir The Body Shop na América Latina

Segundo o executivo, o grupo estuda a possibilidade de abrir vagas de trabalho se utilizando de novos regimes de contratação, como o do trabalho intermitente. A adesão a esse novo modelo, no entanto, ainda depende de análise e treinamentos internos. 

Mais conteúdo sobre:
O Boticário reforma trabalhista

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.