Grupo canadense estaria disposto a financiar TGV

Um representante da empresa canadense Market Street, Antonio Carlos de Kleva, informou nesta quarta-feira à imprensa que ontem apresentou ao Trabalhadores do Grupo Varig (TGV) uma proposta para financiar o consórcio brasileiro, que arrematou a Varig na semana passada por US$ 449 milhões.Segundo ele, a empresa estaria disposta a depositar US$ 100 milhões agora e o restante em parcelas mensais de US$ 100 milhões. A intenção seria ficar com 100% das ações ordinárias (ON, com direito a voto) e 85% das ações preferenciais (PN, sem direito a voto) da Varig. Já os funcionários da TGV ficariam com os 15% restantes.O executivo explicou que a operação seria feita por meio da Market Street Holding do Brasil e, por isso, não desrespeitaria a lei brasileira, que limita a participação estrangeira em companhias aéreas em 20% do capital.Interesse social Kleva alega que o interesse na Varig "é social em função do grande número de funcionários da companhia que ficariam desempregados caso a empresa fosse à falência". O interesse da empresa canadense é tanto que ela estaria disposta a fazer uma oferta de US$ 860 milhões (preço mínimo fixado no leilão) caso a oferta da TGV não seja homologada pela Justiça.O representante disse que o grupo canadense tem 50 Boeings parados e que podem ser utilizados para viabilizar as operações da Varig. Entretanto, De Kleva não quis revelar em quais empresas o grupo atua hoje.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.