Grupo CBA abrirá rede de supermercados

A CBA, maior fornecedora de cestas básicas do País, está entrando no setor de supermercados. As primeiras lojas da rede, batizada de Super CBA Economia, devem começar a funcionar no final do mês e o plano da empresa é abrir 100 unidades até o final de 2003. Serão supermercados de 500 m² a 700m², com até três caixas, que vão comercializar cerca de 800 itens para consumidores das classes C, D e E. A intenção, de acordo com o diretor comercial Francisco Eduardo Serpico, é aproveitar o forte poder de negociação com fornecedores para entrar em um negócio em expansão: o supermercado de vizinhança. "Somos um dos dez maiores compradores de gêneros alimentícios do País", argumenta. O investimento inicial é de R$ 6 milhões na reforma dos 28 postos de distribuição das cestas básicas do Estado de São Paulo que serão transformados em supermercados. Depois, a empresa deve iniciar a construção dos outros pontos-de-venda. A meta é chegar a 2005 com 300 unidades no Brasil, mas o valor total a ser investido na rede ainda não foi dimensionado, segundo Serpico. Um milhão de cestasA CBA produz um milhão de cestas básicas por mês nas seis unidades de montagem. Além do depósito de Jundiaí, na Grande São Paulo, com 173 mil m2, a empresa tem operações também no Rio de Janeiro, Curitiba, Belo Horizonte, Brasília e Fortaleza. Cerca de 70% do volume de cestas é fornecido às empresas, mas os outros 25% são vendidos a grandes redes varejistas e 5% são comercializados nos postos de distribuição, que atendem também pessoas físicas. Em setembro, a empresa aumentou seu poder de fogo ao incorporar a divisão de cestas básicas da Ticket, empresa do grupo Accor que atua no segmento de vales-benefício. A parceria gerou um incremento de cerca de 50% no volume movimentado mensalmente pela CBA. A Ticket, por sua vez, liberou-se desta atribuição para se dedicar mais ao seu negócio principal.Serra LesteA decisão de partir para o ramo de supermercados, afirmou Serpico, está associada também ao crescimento da Serra Leste, empresa do grupo que produz alimentos semi-elaborados e que terá agora mais um canal de distribuição de sua produção. Detentora das marcas Paladar, Davina e Palate, a empresa comercializa produtos semiprontos, como sopas, cremes, temperos, arroz, farofas e sobremesas, além de achocolatado.O Grupo CBA foi fundado há 15 anos por três empresários que atuavam no atacado de arroz e feijão e se dedicou inicialmente apenas à montagem de cesta básica. Hoje, além da Serra Leste, o grupo possui também a CBA Nutris, que fornece refeições coletivas, inclusive para o projeto governamental de refeição popular. Já a Bônus CBA atua no ramo de benefícios-alimentação, e na Savon fábrica de detergente em pó, em Feira de Santana, na Bahia, a CBA tem participação majoritária. O grupo todo emprega cerca de 700 pessoas.Além das cestas básicas, a CBA é também uma das maiores fornecedoras de cestas de natal. A previsão para este ano é de comercializar 2,3 milhões, frente a 1,5 milhão do ano passado. O acréscimo se deve à incorporação da Ticket, informou o diretor, uma vez que a previsão inicial era de vender o mesmo volume de 2001. Com o acordo, o número de empresas clientes exclusivamente para cestas natalinas passou de 5 mil para 12 mil.Leia mais sobre o setor de Comércio e Serviços no AE Setorial, o serviço da Agência Estado voltado para o segmento empresarial.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.