Grupo chinês compra fatia de campo de petróleo no Rio

A estatal chinesa Sinochem será a primeira companhia do país asiático a produzir petróleo no Brasil. A empresa anunciou ontem acordo com a norueguesa Statoil para compra de 40% do campo de Peregrino, na Bacia de Campos, por US$ 3,07 bilhões. Peregrino tem reservas estimadas em 500 milhões de barris e início de operações previsto para o começo de 2011, com capacidade para produzir 100 mil barris por dia.

AE, Agencia Estado

22 de maio de 2010 | 08h05

Com a operação, a Sinochem segue o caminho de outras empresas chinesas que decidiram apostar no Brasil. Na semana passada, a estatal State Grid anunciou a compra, por US$ 1,726 bilhão, de sete concessionárias de transmissão de energia pertencentes às espanholas Cobra, Elecnor e Isolux. Há um mês, o consórcio chinês ECE - Birô de Exploração e Desenvolvimento Mineral do Leste da China informou que estava adquirindo a mineradora Itaminas por US$ 1,2 bilhão.

Além disso, a Wuhan Iron and Steel Corp (Wisco), anunciou em abril a compra de fatia na mineradora MMX, de Eike Batista, por US$ 400 milhões. A empresa projeta a construção de uma siderúrgica de US$ 4,7 bilhões no porto do Açu, no Rio de Janeiro, também controlado pelo grupo de Batista.

No setor de petróleo, a chinesa Sinopec já tem um acordo com a Petrobras para exploração de petróleo em dois blocos na Bacia do Pará-Maranhão e avaliação de oportunidades conjuntas em refino e petroquímica. As petroleiras chinesas têm tido grande atuação no mercado internacional em busca de garantia de suprimento futuro - a própria Petrobras se comprometeu em 2009 com exportações de óleo para a China em troca de financiamento. As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.

Tudo o que sabemos sobre:
negóciospetróleoChinaSinochemcompra

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.