Grupo Fiat inicia produção em Pernambuco

Complexo começa a operar com 3 mil empregados para produzir o Renegade, SUV da marca Jeep

Cleide Silva, O Estado de S.Paulo

20 Fevereiro 2015 | 02h07

A Fiat Chrysler iniciou ontem a produção comercial do utilitário-esportivo (SUV) Renegade, da marca Jeep, na fábrica de Goiana (PE). A segunda unidade do grupo no País inicia operações com cerca de 3 mil trabalhadores, incluindo o pessoal dos 16 fornecedores de componentes instalados dentro do complexo industrial.

A inauguração oficial ocorrerá apenas em 28 de abril. A data foi definida em razão das agendas da presidente Dilma Rousseff e do presidente mundial da companhia, Sergio Marchionni, que pretendem participar do evento.

A fábrica começa a operar num ritmo de 45 veículos por hora, em um turno de trabalho. Resultado de um investimento de R$ 7 bilhões (R$ 4 bilhões da Fiat e R$ 3 bilhões dos fornecedores), a fábrica tem capacidade para 250 mil veículos anualmente.

No primeiro ano, contudo, a previsão de Cledorvino Belini, presidente da Fiat Chrysler do Brasil, são de 100 mil unidades, mas tudo vai depender da demanda dos consumidores já que o mercado brasileiro como um todo deve registrar seu terceiro ano seguido de queda de vendas, segundo projeções de analistas e fabricantes.

"Mesmo com o mercado recessivo, estamos otimistas, pois há produtos que fazem o próprio mercado e achamos que este é o caso do Renegade", diz um porta-voz do grupo.

O segmento de SUVs atualmente responde por 6% das vendas, mas as projeções de Belini é de que esta participação chegue a 13% até 2018.

Foi de olho nessa estratégia que a Fiat mudou seu projeto para a fábrica pernambucana. Inicialmente concebida para produzir carros populares, a fábrica teve o projeto alterado e a marca Jeep foi escolhida como primeiro produto da fusão entre Fiat e Chrysler a ser produzida no Brasil.

O Renegade começará a ser vendido no fim de março ou início de abril e, segundo estimativas do mercado, deve custar a partir de R$ 70 mil. O utilitário de pequeno porte vai disputar mercado principalmente com o Ford EcoSport, o Renault Duster e o Honda HR-V.

No primeiro ano, a produção será voltada ao mercado doméstico, mas, a partir de 2016, a Fiat Chrysler pretende exportar o Renegade para diversos países da América do Sul.

"Uma das maiores oportunidades para o crescimento da Jeep está no Brasil", disse, em nota, o presidente global da marca Jeep, Mike Manley. "Agora temos um veículo produzido no Brasil que se encaixa perfeitamente no mercado latino-americano."

Chery. Na primeira semana do mês a fabricante chinesa Chery também iniciou a produção comercial do Celer nas versões hath e sedã na fábrica de Jacareí (SP), embora a unidade tenha sido oficialmente inaugurada em agosto.

A fábrica tem capacidade para 50 mil automóveis ao ano, mas pretende produzir em 2015 cerca de 30 mil veículos, incluindo o compacto QQ, que deve entrar na linha de produção no segundo semestre. 

Mais conteúdo sobre:
O Estado de S. Paulo Fiat fábrica

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.