Grupo holandês suspeito de fraude deixa o Brasil

A grupo holandês Royal Ahold informou hoje que estuda a venda das três companhias que possui no Brasil: as redes de supermercados Bompreço e G.Barbosa e a administradora de cartões de crédito HiperCard. A Ahold admitiu, em fevereiro, erros contábeis que inflaram os lucros em mais de US$ 500 milhões nos dois últimos anos.O Bompreço tem 119 lojas em novos Estados nordestinos, sendo 28 hipermercados, 88 supermercados e três lojas de departamento. A G.Barbosa opera 32 lojas, sendo sete hipermercados e 25 supermercados, nas capitais e cidades do interior dos Estados de Sergipe e Bahia. A HiperCard possui mais de dois milhões de usuários. No ano passado, as vendas do Bompreço e da G.Barbosa foram de R$ 3,5 bilhões. A Ahold chegou ao Brasil em 1996.Em comunicado oficial, a Ahold informou que não foram definidos prazos para a venda das empresas da América do Sul e pretende sair do mercado "de maneira responsável e adequada em relação aos clientes, associados e fornecedores". Além do Brasil, a Ahold anunciou a venda das operações na Argentina, Peru, Chile e Paraguai. SucessoresPara especialistas do setor, as francesas Carrefour e Casino (que tem participação no Grupo Pão de Açúcar), bem como a norte-americana Wal-Mart aparecem como possíveis empresas interessadas nas operações da Ahold no Brasil. "A aquisição da rede Bompreço posicionará o Carrefour de novo na posição de liderança no Brasil, que já mantém a segunda posição atrás do Grupo Pão de Açúcar", disse o IDG, instituto de estatística da indústria européia.O grupo holandês na América do Sul vendeu ? 2,3 bilhões em 2002 e poderá levantará até ? 700 milhões com a venda dos negócios no continente sul-americano.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.