Grupo LAN-TAM poderia duplicar frota em uma década, diz jornal

Segundo vice-presidente da TAM, nova empresa também prevê voos para a Ásia dentro do mesmo período

Reuters,

20 de novembro de 2011 | 17h17

A enorme companhia aérea latino-americana a ser formada através da fusão da chilena LAN Chile com a brasileira TAM poderia aumentar sua frota para chegar a 500 aeronaves dentro de uma década, disse um executivo em entrevista publicada neste domingo.

Mauricio Amaro, que atualmente é vice-presidente da empresa brasileira e está prestes a se tornar chefe da Latam Group, como será chamada a empresa resultante da combinação de TAM e LAN, também disse ao jornal chileno El Mercurio esperar que o grupo esteja voando para a Ásia dentro do mesmo período.

"Quantos aviões, é difícil dizer, mas é provável dobrar a nossa frota durante este período, atingindo cerca de 450 ou 500 aeronaves", disse ele. "E certamente também podemos estar voando para a Ásia, que hoje não é viável", disse ele.

LAN e TAM anunciaram no mês passado que haviam começado a definir a estrutura corporativa do grupo, que deve se converter em uma das maiores companhias aéreas do mundo.

No Brasil, o acordo multimilionário para criar o novo grupo LATAM Airlines Group já passou dois ou três obstáculos e continua sujeito à aprovação antitruste.

O tribunal antitruste do Chile TDLC aprovou o acordo em setembro, derrubando um grande obstáculo, mas impôs 11 condições, três das quais foram objeto de recurso pela LAN para a Suprema Corte do país.  

Tudo o que sabemos sobre:
LANTAMaéreasaviação

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.