Grupo nega que bancos franceses precisem de ajuda

Os bancos franceses não precisam que o governo ajude a recapitalizá-los e também podem absorver um desconto no valor original dos títulos gregos (haircut), afirmou o presidente da Federação Bancária Francesa (FBF), Frédéric Oudea, ao jornal Le Parisien.

CLARISSA MANGUEIRA, Agencia Estado

19 de outubro de 2011 | 10h29

"Os bancos franceses não precisão de recursos públicos", disse Oudea. Segundo ele, os bancos estão aguardando a cúpula da União Europeia (UE) no fim de semana para decidir se precisarão pedir ajuda aos acionistas.

"Os bancos franceses são capazes de absorver perdas relacionadas à resolução do problema da Grécia", mesmo se tiverem de aceitar um haircut de até 60% nos bônus gregos", afirmou Oudea.

Os bancos franceses detêm 8 bilhões de euro em dívida soberana da Grécia, sinalizando que os lucros do primeiro semestre deste ano serão "muito maiores do que essa quantia". As informações são da Dow Jones.

Tudo o que sabemos sobre:
Françabancos

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.