coluna

Dan Kawa: Separar o ruído do sinal é a única forma de investir corretamente daqui para a frente

Grupo Nova América construirá usina sucroalcooleira em MS

O presidente do Grupo Nova América, Roberto Rezende Barbosa, confirmou nesta quinta-feira que a companhia construirá sua terceira unidade produtora de açúcar e de álcool. A usina será no município de Caarapó, na região sul do Mato Grosso do Sul. O empresário afirmou ainda que estuda a abertura de capital da Nova América, mas descartou que o processo ocorra em um curto prazo. "Estamos considerando, mas ainda não operando sequer o processo de abertura do capital; é um investimento para um longo prazo que irá requerer uma mudança de estratégia e um grande período de adaptação", afirmou Barbosa. Apesar de ser um dos maiores grupos agroindustriais do País, a Nova América possui controle acionário restrito a três irmãos da família Rezende Barbosa.A Nova América já possui unidades produtoras nos municípios paulistas de Maracaí e Tarumã. O processamento de cana-de-açúcar em 2006/2007 deve atingir 7 milhões de toneladas, alta de 12% ante a safra passada. Sobre a nova unidade, Barbosa revelou apenas que ela deve iniciar a operação em 2008 e que mais detalhes, como capacidade de moagem, serão dados em setembro, no lançamento oficial do empreendimento na cidade sul-mato-grossense. "Eu queria ter o gostinho de anunciar tudo lá", afirmou o empresário.Além da nova unidade produtora, outro investimento da Nova América é a construção de uma refinaria anexa à unidade de Tarumã para o processamento do açúcar a ser destinado ao mercado interno. O grupo é líder nacional no varejo com as marcas União e Dolce. Barbosa relatou que a co-geração de energia elétrica a partir da queima do bagaço da cana na usina foi fundamental para o investimento na refinaria com início de operação em 2007. "Nós temos uma refinaria autônoma em Limeira (SP) que funciona com o gás da Bolívia e não podemos mais arriscar tanto", explicou o empresário.O Grupo Nova América movimenta 3 milhões de toneladas de açúcar e 250 milhões de litros de álcool por ano em seus vários braços empresariais. Além das unidades produtoras, refinadoras e das marcas, o conglomerado possui uma trading, armazéns, centros de distribuição e um terminal portuário. Possui ainda um braço de cítricos com fazendas que produzem 3,2 milhões de caixas de laranja e uma unidade de processamento de suco responsável por abastecer cerca de 90% das marcas comercializadas no varejo.

Agencia Estado,

10 de agosto de 2006 | 16h56

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.