Grupo pretende abrir capital na bolsa para crescer ainda mais

Cenário

O Estado de S.Paulo

28 de setembro de 2011 | 03h09

O próximo passo do grupo Multi, administrado pelo empresário Carlos Martins, é abrir capital na bolsa de valores. "Ao fazer isso, você fecha as portas do mercado para a concorrência e se estabelece como líder absoluto", afirma Martins. "A empresa passa a dispor de recursos para se fortalecer no mercado nacional e até no internacional." Este próximo passo está ligado ao plano de expansão do negócio, cuja receita ultrapassa R$ 1 bilhão.

Atualmente, o grupo Multi é composto por dez empresas, todas ligadas à educação. Além da Wizard, que atende cerca de 500 mil alunos por ano e gera 20 mil empregos, integram a empresa as redes Yázigi, Skill, Alps e Quatrum - também voltadas ao ensino de idiomas. O grupo atua ainda em outros segmentos do setor educacional. A Microlins, rede de franquias de escolas profissionalizantes, foi adquirida recentemente e tem faturamento de R$ 400 milhões.

O grupo Multi ainda administra a Smartz, além da SOS, People e Bit Company. A expansão promovida por Carlos Martins e seus filhos, que o auxiliam no empreendimento, não se resume ao País. O empresário atua também no exterior e mantém escolas nos Estados Unidos, Ásia, África, Europa e América Latina.

Mas ser uma das grandes empresas do segmento educacional no mundo exige constante inovação. Por isso, no início de setembro, o grupo Multi começou as atividades da WeSpeak, primeira rede social idealizada para atender estudantes interessados em aprender o idioma inglês.

A empresa investiu R$ 10 milhões no projeto, cujo lançamento ocorreu simultaneamente no Brasil e China. A estratégia parece alinhada com o mundo corporativo, que busca oferecer cada vez mais produtos e serviços nas mídias sociais. Recentemente, por exemplo, o Magazine Luiza, da empresária Luiza Trajano, passou a vender seus produtos por meio do Facebook.

No caso do grupo Multi, a WeSpeak permite que seus usuários façam exercícios de aprimoramento do idioma inglês e contem, ainda, com a interação e auxílio de outros participantes. A inscrição e uso de grande parte da rede social, conforme informou a empresa por ocasião do lançamento, são gratuitos.

Caso precise da ajuda de um professor, para tirar dúvidas e ter aulas particulares pela internet, o aluno terá de desembolsar R$ 10. A expectativa do grupo é contar com um milhão de usuários cadastrados até o final deste ano. E Carlos Martins não pretende parar por aí. Em 2012, o plano do grupo Multi é preparar e lançar a versão em espanhol da rede social, desta vez, com foco no público latino.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.