Grupo Siciliano quer entrar no Novo Mercado

O Grupo Siciliano estuda abrir seu capital no Novo Mercado na Bolsa de Valores de São Paulo (Bovespa). Segundo o presidente da companhia, Oswaldo Siciliano Jr., os contatos com a Bovespa para discutir o assunto têm sido freqüentes.Ele ponderou, no entanto, que ainda não há uma definição sobre o prazo para concretização do projeto. "Tudo dependerá da evolução do mercado. Estamos acompanhando de perto as mudanças propostas, inclusive a nova Lei das S.As.", destacou. O executivo disse que a escolha pela nova seção da bolsa - com regras especiais de proteção ao acionista minoritário - é um passo natural dentro da política da companhia.Ele lembrou que a Siciliano vem promovendo, desde 1998, modificações para garantir transparência e melhorar a governança corporativa. "Houve um casamento entre o que estava sendo feito e as normas anunciadas pela Bovespa para o Novo Mercado", declarou.De acordo com Siciliano Jr., a companhia trabalha atualmente na conversão de suas demonstrações financeiras para as normas contábeis norte-americanas (US Gaap), uma das exigências da bolsa. A previsão é de que a adaptação seja concluída até o final do ano.O presidente da Siciliano comentou também que o capital da empresa já é representado apenas por ações ordinárias, outro pré-requisito do Novo Mercado. A família Siciliano detém 65% dos papéis e o restante pertence ao fundo norte-americano Darby Overseas Investments.Ele acrescentou que a companhia continua a promover uma maior profissionalização dos negócios, com os membros da família ocupando postos apenas no Conselho de Administração e deixando a gestão das atividades a cargo de executivos.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.